Arquivos Autor

Aleitamento Materno: amor em forma líquida

Nutrido por toda uma vida, o sonho de ser mãe se confundia ao de amamentar o próprio filho. Por isso, a realização de Larissa não poderia ser maior quando, além de dar à luz o Pedro Henrique, pôde aconchegar o recém-nascido junto ao seio. Vencidos os desconfortos comuns ao ingresso na fase de aleitamento, então, a mãe exalta tal determinação como um gesto de amor – concepção corroborada pela pediatra Ana Camila Backes. “A gente tem a ideia de que os bebês nascem e já saem mamando. Mas, na prática, é bem diferente. Os bebês costumam apresentar dificuldade de sucção e isso pode ser doloroso para a mamãe. É preciso ter muita paciência e persistência, além de contar com uma rede apoio”, afirma a especialista.

Integrando o corpo clínico do Hospital Notre Dame São Sebastião, a médica ainda salienta os benefícios de empenhar-se para superar tais dificuldades. “No que diz respeito ao bebê, o aleitamento induz à maturidade imunológica; estimula a musculatura orofacial; e diminui as chances de desenvolvimento de diabetes, pressão alta e outras doenças”, menciona Ana. Frisando como o leite materno é o alimento de que a criança precisa nos seus primeiros meses de vida, a pediatra ainda destaca a como o ato de amamentar é positivo para a saúde e o bem-estar da mulher. “Ele diminui o risco de câncer de mama e funciona como um contraceptivo durante o pós-parto. Além disso, libera muitos hormônios. Por isso, quando não há dor, ele se mostra prazeroso”, comenta a especialista, ressaltando, ainda, como a amamentação estreita o vínculo com o filho.

Ana Flávia

Como proteger a garganta do inverno?

Não é raro que, quando o frio se faz sentir, pipoquem queixas acerca de dores de garganta. Afinal, conforme esclarece a otorrinolaringologista Tatiany Tiemi Yamamoto, as baixas temperaturas resultam no ressecamento das mucosas nasais e guturais, provocando irritação local. A desidratação, como explica a especialista, ainda nos torna mais suscetíveis a infecções – risco agravado pelo fato de que, nos dias gélidos, se tende a buscar maior proximidade física e se evita ventilar os ambientes, favorecendo a disseminação de vírus e bactérias.

Por isso, prezar pela hidratação de tais mucosas é preservar a própria saúde. “Tome água e introduza soro fisiológico nas narinas várias vezes ao dia. Além disso, lave as mãos frequentemente e mantenha os espaços arejados”, aconselha a médica, reiterando a importância de também seguir à risca as normas de etiqueta respiratória. “Ao tossir ou espirrar, utilize um lenço de papel para cobrir a boca e o nariz, descartando-o imediatamente após. Em seguida, higienize as mãos. Na falta de um lenço, utilize a parte interna do braço para evitar que gotículas se espalhem”, conclui.

Ana Flávia

Presidente da Assembleia Legislativa visita o Hospital São Sebastião

Acompanhado pelo deputado Estadual Clair Kuhn (MDB), o presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, Gabriel Souza (MDB), esteve no Hospital Notre Dame São Sebastião, durante a manhã desta quarta-feira (21), com o intuito de conhecer a instituição e suas necessidades. “Nós estamos realizando esta visita para compreender a realidade do hospital, para saber de que forma ele vem desempenhando suas atividades e de que forma nós, enquanto deputados, podemos ajudá-lo”, frisou.

Na oportunidade, a diretora da área de Saúde da Congregação de Nossa Senhora e o administrador do Hospital Notre Dame São Sebastião, Irmã Cristina Backes e Marcelo Canazaro, entregaram um ofício a Gabriel. Nele, solicitaram a disponibilização de recursos financeiros para custeio de materiais e equipamentos imprescindíveis ao atendimento médico-hospitalar. “Ficamos muito felizes quando recebemos essas visitas, pois elas evidenciam como os legisladores se mostram sensíveis às nossas necessidades e ambições”, afirma Marcelo, sem esconder a esperança de que os deputados ofereçam o seu amparo às instituições filantrópicas.

Ana Flávia

Centro de Especialidades e Diagnósticos: há seis meses, proporcionando atendimento humanizado e qualificado à população do Alto Jacuí

Prestar um serviço de qualidade, prezando pela humanização do atendimento e pelo bem-estar dos pacientes: esse é o compromisso assumido por cada um dos profissionais que atuam junto ao Centro de Especialidades e Diagnósticos Júlia Billiart.

Inaugurado há seis meses, em Não-Me-Toque, o Centro disponibiliza atendimento médico especializado a toda a população do Alto Jacuí. Além de consultas com clínico geral, dermatologista, obstetra e ginecologista, oncologista, oftalmologista, ortopedista e traumatologista, otorrinolaringologista, pediatra, psiquiatra e urologista, ainda oferece acompanhamento com fonoaudióloga, fisioterapeuta e nutricionista.

No âmbito do diagnóstico, também conta com os serviços de análises clínicas e exames por imagem, tais como ecodoppler, ecocardiografia, eletrocardiografia, mamografia, radiologia, tomografia e ultrassonografia.

Por fim, o Centro de Especialidades e Diagnósticos Júlia Billiart também conta com a infraestrutura necessária para a realização de procedimentos ambulatoriais e serviços de enfermagem.

Realizando atendimentos particulares ou pelos convênios Cabergs, Cassi, Comaja, IPE e Unimed, entre outros, o Centro adota rigorosas medidas para evitar a proliferação do novo coronavírus. Por isso, como enfatiza a sua supervisora administrativa, Juliana Rohrig, os indivíduos podem sentir-se confiantes em procurá-lo para zelar pela sua saúde. “É importante que as pessoas mantenham os cuidados preventivos e sigam seus tratamentos”, frisa.

Ana Flávia

Você sabe quando deve procurar por um cirurgião vascular?

Dor, inchaço e formigamento nas pernas podem ser, assim como a dificuldade para caminhar, manifestações que indicam a necessidade de procurar por um cirurgião vascular. O profissional, então, realizará um exame clínico e, caso seja necessário, solicitará testes capazes de identificar as causas do desconforto.

No entanto, como esclarece a especialista que integra o corpo clínico do Hospital Notre Dame São Sebastião, Kali Schimidt, até mesmo pacientes sem sintomas persistentes podem precisar tratar doenças vasculares. “Por serem crônicas e evolutivas, elas podem vir a ocasionar dores ou, até mesmo, causar danos maiores”, esclarece a médica graduada pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali). Por isso, prossegue a profissional, deve-se procurar o cirurgião vascular ao menor sinal de incômodo. “Existem vários tipos de tratamentos e, inclusive, medidas de preventivas para tais enfermidades”, conclui a cirurgião vascular e endovascular.

Ana Flávia

Hospital São Sebastião reinaugura a sua farmácia

Prestigiada por representantes da entidade que mantém o Hospital Notre Dame São Sebastião, bem como colaboradores e gestores da casa de saúde e autoridades políticas dos municípios que compõem a sua região de abrangência, a reinauguração da farmácia hospitalar, ocorrida na tarde desta sexta-feira (09), evidenciou o comprometimento da instituição com a excelência na prestação de serviços.

Afinal, como exaltou a presidente da Congregação de Nossa Senhora, Irmã Rosa Hoelscher, a farmácia é o local onde são buscados os subsídios para a restauração da saúde. “É nos remédios, às vezes amargos e caros, que depositamos a confiança em termos restituído o bem-estar e as boas condições de trabalho. Remédios minimizam a dor e ajudam na cura, mas precisam ser administrados com carinho, atenção e na medida certa”, afirmou a religiosa, exaltando o papel desempenhado por cada um dos envolvidos no atendimento médico-hospitalar.

A reforma, viabilizada por emenda parlamentar do Deputado Federal Giovani Cherini, assegura que o setor, agora localizado em um ambiente mais amplo e moderno, atenderá à demanda com ainda mais eficiência e qualidade. Por isso, a diretora da área de Saúde da Congregação, Irmã Cristina Backes, celebrou o investimento. “Apesar do tempo difícil que estamos vivendo, não esmorecemos nem desanimamos. Pelo contrário, continuamos acreditando que dias melhores são possíveis, graças à ajuda e à colaboração de todos”, frisou.

Ana Flávia
Médico urologista, Dr. Guilherme Marx

Após os 45 anos, homens devem consultar o urologista periodicamente

A Urologia é a especialidade médica responsável pelo diagnóstico e tratamento de doenças do trato urinário. No caso dos indivíduos do sexo masculino, contudo, os órgãos do Sistema Genital se somam à bexiga, à uretra, aos rins e aos ureteres, como atribuição do urologista – profissional que deve ser consultado periodicamente, a partir dos 45 anos.

“O homem não costuma procurar por atendimento de forma preventiva”, constata o urologista e membro do corpo clínico do Hospital Notre Dame São Sebastião, Guilherme Marx. Por isso, o especialista recomenda ao menos duas consultas, antes que elas devam tornar-se rotineiras. “O ideal é que os meninos visitem um especialista ainda na puberdade, a fim de que recebam orientações acerca das transformações ocorridas nessa fase. Uma nova consulta deveria ser feita no início da vida adulta, para que o homem esteja ciente de como zelar pela própria saúde. Após os 45 anos, então, a avaliação médica deve ocorrer regularmente, oportunizando que qualquer disfunção hormonal ou da próstata seja identificada de forma precoce”, orienta. Além disso, o urologista deve ser procurado sempre que forem percebidas alterações no Sistema Urogenital.

Felizmente, conforme percebe o médico, os homens estão mais conscientes acerca das consultas preventivas. “Assim, a gente consegue identificar as doenças antes e tratar de forma mais adequada”, conclui o especialista que atua nos segmentos de uro-oncologia, litíase urinária, endourologia, videocirurgia urológica e andrologia.

Ana Flávia

Junho Azul Celeste alerta para a importância dos Centros de Materiais e Esterilização

Cada instituição de saúde é composta por diversos setores. Maiores ou menores, todos eles são imprescindíveis ao bom atendimento dos pacientes. Nos hospitais, entretanto, há um que costuma ser conhecido como o seu “coração”. É o Centro de Materiais e Esterilização (CME) – cujo valor é exaltado ao longo o mês de junho.

Designado “Azul Celeste” por um movimento que visa reconhecer os profissionais que garantem a disponibilidade de todos os instrumentos necessários à realização dos mais diversos procedimentos, o período de 30 dias evidencia a incomensurável responsabilidade do seu ofício. Afinal, qualquer falha durante o processamento implica em um possível comprometimento na esterilização, aumentando o risco de infecção durante ou após cirurgias. “O CME é um setor de apoio associado à qualidade dos serviços prestados”, descreve a enfermeira responsável pelo Centro do Hospital Notre Dame São Sebastião, Irmã Marli Auziliero. “Nossos profissionais zelam pela vida de todos os pacientes. E o CME é responsável por garantir a segurança na assistência à saúde”, conclui a religiosa.

Ana Flávia

Emenda parlamentar beneficia o Hospital Notre Dame São Sebastião

Em visita realizada na manhã desta quinta-feira (24) ao Hospital Notre Dame São Sebastião, o vereador espumosense Leonardo Comin apresentou à direção da casa de saúde um ofício de emenda parlamentar no valor de R$ 100 mil reais.

Destinado à instituição pelo senador Luis Carlos Heinze, o valor será creditado nos próximos meses e vai contribuir para o enfrentamento da emergência em saúde pública provocada pelo novo coronavírus. Dessa forma, como evidencia o administrador hospitalar, Marcelo Canazaro, a casa não precisará recorrer a verbas da sua mantenedora, a fim de assegurar o atendimento em leitos clínicos e em Unidade de Terapia Intensiva aos pacientes diagnosticados com a Covid-19.

Ana Flávia

Manutenção da autoestima durante o tratamento quimioterápico

Por Moema Nenê Santos
Hematologista e membro do corpo clínico do Hospital Notre Dame São Sebastião

Olhar-se no espelho e gostar do que vê, bem como perceber que a sua aparência é agradável aos outros, eleva a autoestima e ajuda em qualquer tratamento de saúde – principalmente, nos quimioterápicos. Afinal, eles têm como efeitos colaterais a queda dos cabelos, cílios e sobrancelhas, assim como o ressecamento da pele e das unhas.

Tais reflexos, porém, podem ser manejadas de modo a minimizar os impactos emocionais experimentados pelo paciente. Saiba como:

  • Para evitar o ressecamento das unhas, deve-se fazer uso de hidratantes concentrados, além utilizar luvas de borracha ao executar quaisquer tarefas que envolvam produtos químicos – como, por exemplo, lavar a louça. Se, mesmo assim, elas enfraquecerem e descamarem, lixe-as com mais frequência.
  • Caso o aspecto das unhas se torne incômodo, é possível disfarçá-lo com esmalte. Porém, deve-se evitar permanecer com ele por muitos dias seguidos, usar removedores sem acetona e manter a hidratação frequente.
  • Ao fazer as unhas, evite remover as cutículas e não compartilhe instrumentos.
  • Para evitar o ressecamento de pele, pode-se utilizar cremes hidratantes associados a alguns cuidados de higiene que possibilitam, inclusive, o uso de maquiagem.
Ana Flávia